Uma mulher é agredida a cada 4 minutos no Brasil, diz levantamento

Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência. Dados incluem somente sobreviventes.

Uma mulher é agredida a cada 4 minutos no Brasil, diz levantamento

Foto: Violência contra a mulher/Pixabay

No Brasil, a cada quatro minutos, uma mulher é agredida por ao menos um homem e sobrevive. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência – física, psicológica, sexual e de outros tipos – em que as vítimas sobreviveram.

O maior número de casos por tipo foi de violência física, totalizando 97,7 mil no ano passado, seguido de 52,2 mil de violência psicológica e 34,3 mil de violência sexual. Os números são resultados do que foi registrado no sistema.

Fonte: Sinan/Ministério da Saúde; dados de 2018 são preliminares e estão sujeitos a alterações. Elaboração: Folha Uol

Os dados do Sinan diz também que em quase todos os casos de violência, o agressor da mulher é uma pessoa próxima à vitima: pai, padrasto, irmão, filho, ou, principalmente, ex ou atual marido ou namorado. Na maioria das vezes, é em casa onde as mulheres são agredidas.

De acordo com o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), em 2017 houve 4.396 assassinatos de mulheres no país. Existe ainda um alto número de agressões de todos os tipos não notificadas. Por isso, é possível que o número seja ainda maior.

O tema da violência contra a mulher, ano após anos, vem ganhando a sensibilização da sociedade, tendo sido amplamente discutido e mostrado. O telefone 180 é um canal de denúncia que ajuda a combater a violência e a mapear esses dados.

Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Joedson Kelvin
Carregar Mais Em Notícias

Sobre Joedson Kelvin

Jornalista formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA). Fotógrafo experienciador que vê, escreve e sente, não necessariamente nesta ordem.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Siga-nos!