Quedas significativas em novos casos, permite Alemanha flexibilizar quarentena

Segundo a DPA, a chanceler federal tem grandes preocupações de que as infecções pelo novo coronavírus voltem a aumentar no país pelo fato de poucas pessoas adotarem restrições de contato.




Notícias, Saúde

A partir desta segunda-feira, lojas com até 800 metros quadrados podem reabrir suas portas na Alemanha, segundo decisão do governo federal em conjunto com os governos estaduais. Lojas de carros, bicicletas e livrarias também têm permissão para voltar a funcionar, independentemente de seu tamanho. E em algumas regiões da Alemanha, zoológicos voltarão a receber público. Regras de distanciamento social deverão ser aplicadas nos estabelecimentos.

Em alguns estados do país, as regras entrarão em vigor em outras datas: em Berlim e Brandemburgo, o comércio poderá reabrir somente na quarta-feira, e na Turíngia, na sexta-feira. Há ainda outras diferenças entre os estados. Na Baviera, por exemplo, lojas de jardinagem e construção podem voltar a funcionar nesta segunda, enquanto lojas pequenas, de carros, de bicicletas e livrarias só poderão reabrir as portas daqui uma semana. Críticos falam numa colcha de retalhos quanto às regras nos 16 estados alemães, e a Federação do Comércio Alemã alerta para distorções da concorrência.

A maioria das escolas do país permanece fechada, mas nos estados da Saxônia, de Berlim e Brandemburgo, alunos do último ano retornam às aulas nesta segunda-feira para provas e para se preparar para os exames finais. Nos outros estados, isso ocorrerá daqui alguns dias ou em maio. Universidades poderão voltar a realizar provas, e laboratórios, bibliotecas e arquivos terão permissão para reabrir sob regras rígidas.

Merkel alerta para risco de recaída

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, criticou discussões sobre amplos afrouxamentos das restrições impostas para combater a pandemia de covid-19, segundo informações da agência de notícias alemã DPA e da revista Der Spiegel.

Angela Merkel

Numa teleconferência com a presidência de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), Merkel teria deixado claro como está insatisfeita com o fato de em alguns estados do país a mensagem sobre um afrouxamento cauteloso ter desencadeado “orgias de discussões sobre abertura”, o que aumentaria o risco de uma recaída.

Segundo a DPA, a chanceler federal tem grandes preocupações de que as infecções pelo novo coronavírus voltem a aumentar no país pelo fato de poucas pessoas adotarem restrições de contato. A discussão sobre afrouxamentos não é útil, teria dito.

Na semana passada, o governo federal e os estados chegaram a um acordo sobre um prolongamento do distanciamento social até ao menos 3 de maio e uma reabertura gradual da economia, a partir desta segunda.

De acordo com a agência Reuters, Merkel reiterou à liderança da CDU sua opinião de que a emissão de títulos da dívida mutualizada, os chamados eurobonds, seriam o caminho errado para a União Europeia.

Segundo o Instituto Robert Koch, responsável pela prevenção e controle de doenças na Alemanha, o país tem mais de 141 mil casos de covid-19 confirmados, 4.404 mortes e mais de 91 mil recuperados da doença.

Sobre Erika Souza

A menina louca. Deixo essa definição, pois meu entusiasmo pode parecer loucura. Atuo com comunicação, eventos e desenvolvimento pessoal. Com o convívio a gente se conhece mais.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.