Pfizer e BioNTech finalizam testes de vacina contra Covid-19, o imunizante atingiu 95% de eficácia

Esta é a primeira vacina a finalizar os testes de fase 3. As farmacêuticas afirmaram que pretendem produzir 50 milhões de doses ainda em 2020




Notícias, Saúde

As farmacêuticas americanas Fizer e BioNTech anunciaram em comunicado à imprensa nesta manhã, que finalizaram os testes com a vacina que os laboratórios vêm desenvolvendo contra a Covid-19. A vacina em questão é a BNT162b2, que também vem passando por testes no Brasil. De acordo com o comunicado que as empresas emitiram, o imunizante atingiu uma eficácia da ordem de 95%, não tendo registrado nenhum efeito adverso grave. As informações detalhadas devem ser publicadas em breve em revista cientifica da área.

O texto da Pfizer informa que foram analisados 170 casos de covid-19 entre os participantes dos testes, taxa considerada baixa, especialmente quando se leva em consideração que os estudos foram realizados com milhares de pessoas e em diversos países do mundo. As farmacêuticas ainda frisaram que o estudo e os testes contaram com a participação de pessoas com mais de 65 anos, nesta faixa etária a eficácia atingiu 94%.

Pfizer e BioNTech indicaram que os protocolos exigidos pela agência norte-americana de saúde, a FDA, foram seguidos de modo primordial. Segundo as informações repassadas, os laboratórios pretendem entrar com uma solicitação de uso emergencial nos próximos dias. De acordo com os planos das empresas do setor farmacêutico, o objetivo é produzir 50 milhões de doses ainda em 2020, e atingir 1,3 bilhão de doses até o final de 2021.

Importante lembrar que o imunizante norte-americano é o primeiro a finalizar os testes e mostrar alto grau de eficácia, algumas outras vacinas também estão nas fases finais de testagem, e devem informar seus resultados em breve. A vacina Pfizer/BioNTech é aplicada em duas doses.

Ontem, 17, o Ministério da Saúde noticiou que recebeu alguns executivos da empresa norte-americana. Segundo o informado, o objetivo era “conhecer os resultados dos testes em andamento e as condições de compra, logística e armazenamento oferecidas pelo laboratório. A aquisição dos imunizantes deve ocorrer à medida em que os ensaios clínicos apontarem a total eficácia e segurança dos insumos e o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) for realizado”, afirmou a pasta da Saúde.

O prazo total de extensão da imunidade oferecida pela vacina ainda vem sendo observado, para avaliar se em algum momento será necessário um reforço vacinal.

Sobre Paulo Junior

Graduando em jornalismo pela UFCA. Um apaixonado por política, literatura e cinema. E-mail: [email protected]

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.