Cariri não avança na flexiblização da economia do Ceará

Apenas o toque de recolher que passará a ser das 22h às 5h, diariamente.




Economia, Notícias
Região Metropolitana do Cariri

O governador Camilo Santana anunciou o novo decreto na noite desta sexta-feira (14), durante transmissão nas redes sociais. Haverá novas flexibilizações em Fortaleza, Sobral e regiões metropolitanas. O Cariri permanece com os horários já determinados pelo decreto anterior. Apenas o toque de recolher que passará a ser das 22h às 5h, diariamente.

Sertão Central e Vale do Jaguaribe também ficarão com as medidas anteriormente em vigor. Apesar da diminuição geral de casos e óbitos no Estado, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 decidiu regionalizar a flexibilização por segurança.

O decreto anunciado vale a partir da próxima segunda-feira (17) e atinge 100 municípios cearenses: 56 na região de Sobral e 44 na da Capital. 

NOVOS HORÁRIOS PARA AS REGIÕES DE FORTALEZA E SOBRAL

VALEM A PARTIR DE SEGUNDA (17), TODOS OS DIAS DA SEMANA

  • Comércio de rua: 10h às 19h
  • Comércio em shopping: 12h às 21h
  • Restaurantes: 10h às 21h (com capacidade de até 50%)
  • Academias: Até as 21h
  • Toque de recolher: 22h às 5h (em todo o Estado)

O novo decreto autoriza ainda a prática de esportes individuais em clubes, escolinhas de esportes e areninhas. Para escolas e instituições de ensino superior, serão permitidas aulas práticas e atividades extracurriculares, além de cursos de música, informática, idiomas, entre outros.

INDICADORES DA COVID-19 EM REDUÇÃO

De acordo com o Dr. Cabeto, secretário da Saúde do Ceará, a taxa de positividade de exames da Covid no estado reduziu “significativamente” em Fortaleza, mas permanece elevada em outros municípios do Interior. 

As tendências de redução de atendimentos em emergências e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) permanecem no Estado, assim como a diminuição na letalidade da doença.

Internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ainda permanecem altas, mas isso se deve ao tempo médio de internação na segunda onda, que está consideravelmente maior do que na primeira. 

“Há uma tendência de redução de óbitos. Isso é bom, mas significa que temos que manter essas medidas anunciadas pelo comitê com muita responsabilidade. Depende da colaboração de todos”, pontuou, Cabeto, durante live de anúncio do decreto.

Com informações do Diário do Nordeste

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.